Programa Científico

PROGRAMAS CIENTÍFICOS PRELIMINARES

 

I Simpósio Internacional da IAPO em Distúrbios da Audição na Infância

Somente na sexta feira, 18 de Novembro de 2011 manhã e tarde. Simultanamente aos Cursos Pré-Simpósio do VII Simpósio Internacional de Otorrinopediatria da IAPO Câmara de Comércio Americana: Rua da Paz, 1431. Bairro: Chácara Santo Antônio – São Paulo – SP

1. 8:30 – 9:00
Surdez sensorioneural e suas causas. Anil Lalwani
2. 9:00 – 9:30
Atualização em genética da surdez. Edi Sartorato e José Lubianca
3. 9:30 – 10:00
Estradiol e o impacto na regulação da função auditiva. Raphael Pinaud
4. 10:00 – 10:30
Música em alto volume e o prejuízo para a audição.
Como conscientizar os adolescentes. Roland Eavey
  10:30 – 10: 50 Pausa para o café
5. 10:50 – 11:15
Política nacional de saúde auditiva. Carla Daher
6. 11:15 – 11:45
Implante Coclear em crianças menores de um ano. Blake Papsin
7. 11:45 – 12:00
Abordagem do zumbido em crianças. Tanit Ganz Sanchez
8. 12:00 – 12:30
Resultados e complicações do implante de tronco em criança. Ricardo Bento
9. 12:30 – 13:00
Discriminação auditiva, memória e o córtex anterior. Raphael Pinaud
  13:00 – 14:00 Almoço
10. 14:00 – 14:30
Implante coclear uni ou bilateral? Blake Papsin
11. 14:30 – 15:00
Mesa redonda. Disacusia sensorioneural e implante coclear.
Moderador: Anil Lalwani
Participantes: Luis Lavinsky, Robinson Koji e Walter Bianchini,
12. 15:00 – 15:30
Mesa redonda. Implante coclear simultâneo ou seqüencial?
Moderador: Leopoldo Cordeiro
Participantes: Augusto Penãranda, Hector Ruiz e Javier Cervera
13. 15:30 – 16:00
Mesa redonda. Triagem auditiva: qual a melhor maneira de realizar?
Moderadora: Doris Lewis
Participantes: Amarilis Melendez, Mônica Chapchap
14. 16:00 – 16:30
Mesa redonda. Neuropatia Auditiva, qual o melhor tratamento?
Moderador: Marcelo R. de Toledo Piza
Participantes: Osmar Mesquita Neto e Doris Lewis
15. 16:30 – 17:00
Mesa redonda. Complicações do Implante Coclear em crianças.
Moderador: Arthur Castilho
Participantes: Domingos Lamônica,Rodrigo Pereira e Rogério Hammerschmit
  17:00 – 17:30 Pausa para o café
16. 17:30 – 18:00
Mesa redonda. Processamento auditivo central: exames audiométricos normais e a criança que vai mal na escola.
Moderadora: Berenice Ramos
Participantes: Ana Alvarez, Liliane Desgualdo e Mariana Guedes
17. 18:00 – 18:30
Mesa: Os diferentes modelos de triagem auditiva na América Latina. Moderador: Leopoldo Cordeiro
Participantes: Augusto Penarãnda, Elsa Cecilia Marin, Javier Dibildox, Jorge Astocondor e Silvio Marone
18. 18:30 – 19:00
Painel: A importância dos exames de avaliação auditiva no diagnóstico da surdez.
Moderador: Ney Penteado de Castro
PEATE: Edigar R. de Almeida
EAO: Manoel de Nóbrega
Estado estável: Signe Schuster Grassel
19. 19:00 – 19:30
Painel: Aparelho de Amplificação Sonora Individual (AASI). Perda auditiva de moderada intensidade: há indicação de aparelho? Pontos controversos e elucidativos na indicação dos AASI.
Moderadora: Edilene Boechat
Participantes: Cileide Olbrich, Fernando Caggiano Jr., Letícia Araújo, Sandra Braga e Talita Donini

 

VII Simpósio Internacional de Otorrinopediatria da IAPO

De 18 a 20 de Novembro de 2011.
Câmara de Comércio Americana: Rua da Paz, 1431. Bairro: Chácara Santo Antônio – São Paulo – SP

Cursos Pré-Simpósio. Inscrições limitadas. Sexta feira, 18 de Novembro de 2011 manhã e tarde. Simultaneamente ao I Simpósio Internacional da IAPO em Distúrbios da Audição na Infância
Sexta feira, 18 de novembro de 2011 – Manhã e Tarde. Inscrições limitadas.

CURSO 1. 9 – 10 hs
 
Novo Guideline da Academia Americana de práticas cirúrgicas em adenoides e Tonsilas palatinas (amígdalas). Adenoamigdalectomia em crianças: quando intervir.
David Darrow.
CURSO 2. 10 – 11 hs
  As 10 regras fundamentais nas terapêuticas inovadoras no tratamento cirúrgico das vias aéreas pediátricas.Robin Cotton – Útima vez no Brasil, antes da
sua aposentadoria. Não percam esta oporunidade.
CURSO 3. 11 – 13 hs
  Imersão total em Biofilmes e sua Importância nas Sinusites, Otites e Tonsilites (Amigdalites). Adrian Brink, Christopher PostJim Bartley e Ruth Thornton.
13:00 – 14:00hs. Almoço (não é lunch-box), incluído na inscrição. Servido nas mesas, no espaço anexo ao do evento.
CURSO 4. 14 – 16 hs
  a)   Imersão e atualização em Rinossinusite: Aguda. Scott Manning;
b)  Rinossinusite Crônica: Clínica. Curso ministrado anualmente
na Academia Americana de ORL. Fuad Baroody;
c)   Rinossinusite Crônica: Cirurgia.
Curso ministrado anualmente na Academia Americana de ORL. Hassan Ramadan.
CURSO 5. 16 – 17 hs 
  Otite Média Novo Guideline da Academia Americana: atualização na abordagem.
Richard Rosenfeld.
CURSO 6. 17 –18 hs
  Atualização no Anel Linfático de Waldeyer. Linda Brodsky.

 

ABERTURA OFICIAL DO VII SIMPÓSIO DA IAPO
9 horas (pontualmente) com os Presidentes do Simpósio, da IAPO, IFOS, Vice Pres. SBP, Vice Pres. SPSP, ABORL-CCF, (representante da Presidente)SBF, ABA, ASPO, ESPO
Tania Sih, James Reilly, Paulo Pontes, Fábio A. Lopes, Eraldo Fiore, José Eduardo L. Dolci, Glaucia Madazio, Kátia de Almeida, Richard Rosenfeld e Javier Cervera

 

Sábado, 19 de novembro de 2011
Módulo: BOCA/CABEÇA-PESCOÇO

1. 9:15 – 9:35hs
Pontos de referência importantes a serem destacados nas patologias das tonsilas palatinas (amígdalas) e rinofaríngea (adenoide). David&nb
sp;Darrow 
e Liliana Palma
2. 9:35 –9:55hs.
Laringopatias na infância. Michael J. Rutter
3. 9:55 – 10:15hs.
Go green! Como os médicos podem minimizar o impacto de agressão ambiental nos hospitais e clinicas. Há REALMENTE necessidade de TUDO ser descartável? Mike Rutter
4. 10:15 –10:30hs.
Apnéia obstrutiva do sono. Moacir Tabasnik e Lauro Lobo Alcântara
5. 10:30 – 10:50hs.
O papel dos Biofilmes nas infecções intracelulares: também nas infecções tonsilares?
O que faz as crianças pequenas apresentarem cada vez mais hipertrofias tonsilares, que hoje são responsáveis por até 75% das indicações cirúrgicas? Ruth Thornton e Oscar Terraza
6. 10:50 – 11:10hs.
Linfonodos cervicais aumentados. O que pensar? Como conduzir? Paul Krakovitz
7. 11:10 – 11:25hs.
Experiência da UNICAMP com relação a protocolos para pesquisa diagnóstica e tratamento de massas ou linfonodos cervicais. Agricio Crespo 
  11:25 – 11:55hs. Pausa para o café
8. 11:55 – 12:15hs.
Papilomatose juvenil recorrente. Abhilash Balakrishnan
9. 12:15 – 12:35hs.
Síndrome de Down. Alterações na esfera ORL. Sally R. Shott
10. 12:35 – 12:55hs.
Esofagite eosinofílica. diagnóstico diferencial com a Doença do Refluxo Gastroesofágico. Dana Thompson
11. 12:55 – 13:15hs.
Pediatric Voice Disorders”. Alterações da voz na infância. Alessandro de Alarcon 
12. 13:15 – 13:35hs.
Disfonias na infância. Painel (fono, otorrinos)
Paulo Pontes, Glaucya Madazio e Alessandro Alarcon
13. 13:35 – 13:50hs.
Microdebridador, radiofreqüência e coblation em otorrinopediatria. Paul Krakovitz 
  13:50 – 14:50hs. Almoço (não é lunch-box), incluído na inscrição. Servido nas mesas, no espaço anexo ao do evento.
14. 14:50 – 15:10hs.
Suplementação oral da Vitamina D altera o número de recorrências das patologias das vias aéreas? O papel da imunodolulação da Vitamina D. James Bartley
15.  15:10 – 15:30hs.
Respirar livremente: REALMENTE importa? James Bartley
16. 15:30 – 15:45hs.
Anomalias congênitas do seio piriforme. Federico Murillo 
17.  15:45 – 16hs.
Alterações relacionadas com a degluticão na criança. Myrian Adriana Pérez
18. 16 – 16:15hs.
EXIT (ex uterum intrapartum procedure). Cirurgia fetal na área da ORL pediatria.
Hugo Rodriguez
19. 16:15 – 16:30hs.
Catarina, 4 anos, há 3 anos tem quadros recorrentes de febre, acompanhadas de estomatites e faringites. Diagnosticada PFAPA (Periodic Fever, Adenitis, Pharyngitis, Aphtous stomatitis), pelo pediatra e inicialmente beneficiou-se com tratamento clínico, entretanto as crises re
tornaram.O otorrino sugeriu tonsilectomia. Esta é a conduta mais correta? A tonsilectomia na síndrome PFAPA. Uma análise crítica da literatura. Marcelo Silber
20. 16:30 – 16:45hs.
Aftas “torturantes”. Luc Weckx
21. 16:45 – 17hs.
Resistência do S. pyogenes (bactéria mais importante nas faringotonsilites)aos antimicrobianos: a situação no Brasil. Rosângela de Almeida Torres
  17 – 17:30hs. Pausa para o café

 

Módulo: ORELHA

1. 17:30 – 17:50hs.
Paulo Henrique, 12 meses, chora muito, passa muito a mão na orelha, está com temperatura elevada (38.5 °C). À otoscopia: opacidade e abaulamento da membrana timpânica. Otite média aguda: condutas atuais. Richard Rosenfeld e Luiz Bellízia
2. 17:50 – 18:10hs.
Verônica, 28 meses. Irritadiça, desatenta, com humor alterado. De acordo com sua mãe Vera,
“a menina anda insuportável” e “tudo começou depois que apresentou uma infecção
do ouvido (tratada)”. Otite média com efusão. Richard Rosenfeld
3. 18:10 – 18:30hs.
Timpanoplastias na idade pediátrica: Qual é a idade mais adequada? Quanto tempo após estar sem otorréia? Qual técnica a a ser utilizada? Blake Papsin
4. 18:30 – 18:50hs.
Sandra, 18 meses, com história de otite recorrente. Novos desafios na abordagem e prevenção das otites médias recorrentes. Ann Hermansson Cecília Jové
5. 18:50 – 19:10hs.
A evolução do homem e a aquisição das otites médias Charles Bluestone
6. 19:10 – 19:25hs.
Ouvido e o uso do iPhone. Peggy Kelley
7. 19:25 – 19:40hs.
Equipamentos, instrumentos e ferramentas indispensáveis e interessantes para ser ter no consultório. Jair de Carvalho e Castro

 

Domingo, 20 de novembro de 2011
Manhã Módulo: Continuação do Módulo de ORELHA

8. 7:30 – 7:50hs.
Abordagem de crianças com otite média em lugares industrializados e em lugares em vias de desenvolvimento. Experiência australiana. Peter Morris
9. 7:50 – 8:05hs.
Escore dos sintomas para a Otite Média Aguda na criança. Sua validade na capacidade preditiva dos pais confrontando com seu diagnóstico e seguimento. Andrés Sibbald 
10. 8:05 – 8:20hs.
Miringosclerose revisitada: Radicais livres de oxigênio. Jorge Spratley
11. 8:20 – 8:35hs. 
Gotas de ouvido com quinolonas no portador de pneumococo na nasofaringe. Adrian Brink
12. 8:35 – 8:50hs.
Qual é a relação existente entre bolsas de retração e o colesteatoma? Alberto Chinski 
13. 8:50 – 9:05hs. 
Síndromes com repercussões na área de ORL. Fernando Silva
14.  9:05– 9:20hs. 
Experiência saudita com mais de 300 tubos de ventilação indicados para casos de otite média com efusão e recorrente. Mohammad Attallah
15. 9:20 – 9:35hs.
Egito Antigo:
como se abordavam as doenças ORL. Hesham Negm
16. 9:35 – 9:50hs.
Triagem e intervenções para uso de substâncias que podem levar à dependência química em adolescentes: maconha, cocaína, álcool, inalantes, medicamentos, crack, oxi, etc.
Patricia Schram
17. 9:50 – 10:05hs.
Bioclimatologia. Marcelo Hueb
18.  10:05 – 10:20hs.
Alterações do equilíbrio na infância. Margaretha Casselbrant
  10:20 – 10:50hs. Pausa para o café
19.  10:50 – 11:05hs. 
Biofilmes e otite média com efusão (OME), otite média recorrente (OMR) e otite média crônica (OMC). Christopher Post
20. 11:05 – 11:20hs.
Dor de ouvido e avião. O que fazer?Elizabeth Araujo
21. 11:20 – 11:35hs
Abordagem da otorréia nas crianças com tubo de ventilação. Maria Beatriz Rotta Pereira
22.  11:35 – 11:50hs
Otite externa. Moacyr Saffer
23. 11:50 – 12:05hs
Colesteatoma congênito. Luis Carlos de Souza

Módulo: NARIZ e CAVIDADES PARANASAIS

1. 12:05 – 12:20hs.
Obstrução nasal do lactente. Paul Krakovitz
2. 12:20 – 12:35hs.
Trauma nasal agudo na criança. Wolfang Pirsig
3. 12:35 – 12:50hs.
Fraturas brancas explosivas (white blowout) ou “aprisionadas” (trapdoor) na órbita. Difíceis de encontrar — importantes de tratar. Ann Hermansson
4. 12:50 – 13:05hs.
Quando pedir e quando NÃO pedir Raio X, tomografia, ressonância e ultar som na esfera otorrinolaringológica.Rainer Haetinger
5. 13:05 – 13:20hs.
Atualização no tratamento das sinusites. Erica Thaler e Alessandro Danesi
6. 13:20 – 13:35hs.
Nariz Eletrônico. Erica Thaler
7.  13:35 –13:50hs
Estratégias atuais para incrementar as defesas do hospedeiro no tratamento da rinossinusite.Pontus Stierna
8. 13:50 – 14:05hs.
Amoxicilina 50 ou 90 mg/kg/dia? José Nélio Cavinatto
  14:05 – 15:05hs.Almoço (não é lunch-box), incluído na inscrição. Servido nas mesas, no espaço anexo ao do evento.
9. 15:05 – 15:20hs.
Cirurgia da redução das conchas nasais (turbinectomia) em casos de hipertrofia. Há lugar na pediatria? Wolfang Pirsig
10. 15:20 – 15:35hs.
Armando, 3 anos. Segundo a mãe “cutuca direto o nariz o qual está sempre entupido”. Às vezes sai sangue, espirra e o nariz está em geral mais úmido que seco. O médico decidiu dar corticóide. A mãe leu na Internet que este remédio é “perigoso: a criança pode inchar e não crescer”. Mitos, dilemas e verdades sobre o uso dos corticóides nas vias aéreas. Scott Manning
11. 15:35 – 15:50hs.
Rinoplastia na idade pediátrica em 2 casos: desde faz
er pouco até fazer muito.
Teolinda Morales
12. 15:50 – 16:05hs. 
Adenoidectomia e a necessidade de revisão cirúrgica.James Reilly
13. 16:05 – 16:20hs. 
Alterações do Olfato nas crianças. Atualização. James Reilly
14.  16:20 – 16:35hs. 
Staphylococcus aureus resistente à meticilina(MRSA) e suas implicações na esfera ORL. Melissa Statham
15. 16:35 –16:50hs. 
Consenso latinoamericano de rinossinusopatias.Javier Dibildox
16. 16:50 – 17:05hs.
Septoplastias na infância: prejudica o crescimento do nariz?JoséEduardo L. Dolci
17. 17:05 – 17:20hs. 
Vírus ou bactéria nas IVAS? Otávio Piltcher
  17:20 – 17:55hs. Pausa para o café
18. 17:55 – 18:10hs.
Piercing e tatoo: implicações e complicações. Silvana Pimentel
19.  18:10 – 18:25hs.
Higiene Nasal: Importância e indicações. Ricardo Godinho
20.  18:25 – 18:40hs.
Diagnóstico e tratamento prático da tosse persistente em crianças.Frida Sanabria
21. 18:40 – 18:55hs.
Nasofibroscopia. Como otimizá-la e tornar mais fácil para a criança permitir o exame.
Renata Di Francesco
22. 18:55 – 19:10hs.
Atresia de coana: abordagem endoscópica através do nariz.Fabrízio R. Romano
  19:10 – 19:15h s.Encerramento Tania Sih

 

Leave a comment

imagem-iapo-logo-contato

Design GN1 © IAPO 1995-2020. Todos os direitos reservados.